Campeonato Baiano: Será que vale ainda disputar este estadual?


Foto: Matheus Caldas / Bahia Notícias

Não é de hoje que o Campeonato Baiano vem sofrendo fortes críticas, não apenas pelo baixo nível técnico, mas pelo péssimo retorno financeiro que a competição estadual traz, seja pelas cotas da detentora dos direitos televisivos da competição, pela inexistência de uma premiação digna do torneio, ou pelo baixo apelo do público que pouco comparece aos estádios.

Jogos ruins, gramados com péssima qualidade marcam o Campeonato Baiano, o segundo mais antigo do Brasil. Tradicional, a edição de 2019 é 115º edição do torneio. O tempo não foi capaz de esconder que a cada ano, o estadual nordestino piora, e os dirigentes parecem (fingir) não ver o que está acontecendo.

Cotas – Os maiores clubes do estado – Bahia e Vitória - recebem cada um R$ 850 mil de cotas da TV detentora dos direitos da competição, enquanto os outros clubes oito clubes – todos do interior do estado tem direito a apenas R$ 113 mil.

A desvantagem não para por aí. A compensação financeira para o vencedor da competição não existe, tendo como prêmio de consolação apenas a volta olímpica e o direito de zoar com o rival no dia seguinte, nada mais do que isso.

Pouco interesse? – O Campeonato Baiano também é pouco atraente pelos torcedores. De acordo com dados do portal GloboEsporte, a média de público do Campeonato Baiano é de apenas 2.875 pessoas, o que dá uma média de ocupação de 19%.

Apesar disso, o torcedor do Bahia é mais presente, cerca de 11 mil torcedores vão à Fonte Nova por jogo no Campeonato Baiano, chegando a ocupar 22% do estádio, e com uma renda bruta de 442 mil reais.

Já o rival Vitória não tem muito motivo para ficar feliz com a competição, o rubro-negro é apenas o terceiro time na média de público no campeonato. Aproximadamente 2800 rubro-negros acompanham em média o clube no torneio, registrando uma renda bruta de apenas 53 mil reais.

Por conta da falta de uma compensação financeira para o vencedor da competição, a falta de interesse também atinge os clubes. O Bahia e o Vitória têm priorizado mais as competições mais viáveis financeiramente, que é a Copa do Brasil e a Copa do Nordeste, e o Campeonato Baiano fica para um segundo, terceiro ou até mesmo o quarto plano.

No começo do ano, Bahia e Vitória anunciaram que iriam utilizar o time reserva na competição. O Bahia vem cumprindo à risca normalmente aproveitando os jogadores “renegados” pela torcida nos jogos. Como o Vitória saiu precocemente da Copa do Brasil para o Moto Club (MA) na primeira fase, o time titular vem sendo mais aproveitado pelos rubro-negros.


Futuro da competição – A cada ano, a fórmula do Campeonato Baiano passa por modificações. A justificativa da Federação Baiana de Futebol (FBF) é adaptar o calendário do estadual à tendência do futebol brasileiro, que faz com que os torneios estaduais fiquem cada vez mais enxutos.


Postar um comentário