O futebol feminino e a problemática que o circunda

Muito hoje se reproduz jargões feitos a respeito do futebol feminino como: "Futebol feminino é desvalorizado". Certo, mas por que ele é desvalorizado? Seria o machismo? Nem tanto

O futebol masculino tem mais de 100 anos, são mais de 100 anos de história, tabus, crescimento; só no Brasil ele está desde 1895, quando a primeira partida foi disputada.

Durante esse período, o esporte teve tempo de evolução, de profissionalização e, principalmente, de uma criação de identidade do torcedor com seu clube. Não obstante, tempo de quebrar tabus, como o racismo. Temos como exemplos no Brasil o Vasco, primeiro clube a aderir jogadores negros no país, e Pelé e Garrincha, referências no mundo inteiro; mundo este que também viu Eusébio destruindo no Benfica e na seleção Portuguesa.

Durante todo esse tempo, as leis de passe e contratações também foram se adequando cada vez mais, pois era - e ainda é - necessário jogadores que se adequem à tática, isso contribui para a evolução do esporte, por isso hoje vemos salários batendo no teto. Teve todo um tempo para trabalhar essa questão.

Por causa do fator "identificação", fora os fatores históricos, temos, no futebol masculino, muito mais ídolos pelos clubes, também.

As leis de passe mencionadas ajudaram, e muito, a evolução tática do jogo e tendo um tempo maior de aprimoramento. Hoje, os níveis técnico, tático e físico do futebol masculino estão muito acima do feminino,  e questionar isso seria desinformação, burrice ou desonestidade.

Historicamente falando, o futebol feminino é jovem, ainda tem muito a aprender e a evoluir. E é com torcida de verdade, que apoia não somente a seleção, mas também os clubes dos quais as jogadoras fazem parte, que isso pode acontecer. Além disso, é importante, também, que hajam cobranças quanto à competência doa times.

Mas fazendo a linha contrária aos reclamões que não apresentam soluções, aqui vão algumas:


• Ajuste de medidas espaciais:

Fica claro que as medidas de campo são desleais às mulheres, pedir pra reduzi-las não é machismo, é algo essencial. A baliza, por exemplo, é muito alta pra média de goleiras; mulheres, em suma tem menos explosão física em campo além de chutar a bola mais fraco.

• Apoio aos campeonatos locais:

Apoiar a seleção é muito bom, mas assistir aos jogos dos clubes é ainda mais essencial para a construção de um esporte melhor. Não somente isso, mas cobrar e questionar os erros também, porque não adianta passar pano para erros bobos, isso não contribui para a seleção natural do esporte


Evoluímos muito no decorrer dos anos com o futebol masculino, por que não compartilhar o conhecimento adquirido com o feminino? Só temos a ganhar com isso, tornando o jogo mais bonito de se ver.



Abraço, togspae

Postar um comentário